Como limpar e higiénizar o interior do seu carro

Como limpar e higiénizar o interior do seu carro

Entediado em casa e sem saber muito bem o que fazer ????… limpe e higienize o interior do seu carro !!

O interior de um automóvel é um dos locais onde circulam mais micróbios e bactérias. Limpar e higienizar o carro com frequência ajuda a evitar a propagação de doenças.

Em tempos comos os de hoje, todos os cuidados são poucos. Locais como o volante, alavanca de velocidades e carpetes são alguns dos locais no interior de um automóvel onde ficam armazenados mais micróbios e bactérias provenientes das nossas mãos.

Saber como limpar o carro por dentro e tornar isto uma rotina na sua vida, não só o ajudará a que as horas passadas dentro do seu automóvel sejam mais prazerosas, como também a cuidar da sua saúde e dos seus.

Em média, cada português passa cerca de 1h20 do seu dia sentado atrás do volante, e parte deste tempo é partilhado com mais pessoas dentro do mesmo habitáculo, por isso manter o interior do carro limpo deveria tornar-se uma prática.

Sabia que no interior do carro existem milhões e milhões de partículas de pó e ácaros que podem ser prejudiciais para a sua saúde, sobretudo se tiver problemas respiratórios? Sabia que acumular lixo no carro é uma fonte enorme de micróbios?

Saiba como limpar o interior do carro em 5 simples passos e transforme o seu carro num local mais espaçoso e limpo, onde vai ter gosto em partilhar tempo na estrada com a sua família.

1. Retire todo o lixo e objetos do carro

Se costuma acumular embalagens vazias de leite ou sumos, pacotes de bolachas ou papéis dentro do carro, e se também costuma deixar objetos e outros pertences pessoais, então tente perder este hábito.

Com o passar do tempo estes objetos começarão a degradar-se e a libertar odores, que poderão ficar penetrados na pele ou tecido dos seus estofos, podendo inclusive ficar manchados, obrigando-o depois a despender ainda mais tempo para que os possa limpar corretamente.

Retirar todos os objetos carro fará com que todos os espaços de arrumação fiquem livres e possa assim detetar as zonas com maior sujidade e ver ao pormenor onde estão concentradas todas migalhas de comida deixadas pelos seus filhos, garantindo assim que o seu carro ficará com um interior como novo e livre de micróbios, e é por isso que se quer saber como limpar o carro por dentro, este deve ser o primeiro passo.

2. Limpe o tablier e a consola central

Depois de retirar todo o lixo, comece por limpar o tablier e a consola central. Estes são os locais por onde as suas mãos passam com mais frequência, nomeadamente o volante, a manete de velocidades, os controlos do ar condicionado e o travão de mão.

As nossas mãos estão em contacto com diversas coisas durante o dia e nem sempre temos tempo para as lavar corretamente antes de conduzir, por isso os objetos do interior do carro acabam por acumular muita sujidade, o que significa também acumular muitos micróbios.

Utilize um pano húmido para limpar o tablier, isto vai garantir que todo o pó e sujidade são limpos e ficam agarrados ao pano. Se quiser ser mais minucioso, pode utilizar um cotonete ou uma escova de dentes para limpar as áreas de mais difícil acesso como o painel de instrumentos ou os botões do sistema de infoentretenimento.

É importante não esquecer os cinzeiros das portas laterais, onde muitas vezes costumamos colocar alguns objetos e são também eles um alvo fácil para acumular muita sujidade.

3. Limpe os estofos

Os estofos deverão ser a 3ª etapa da limpeza, e esta ordem deverá ser respeitada pois seguramente estará sentado neles quando estiver a limpar a consola central e o tablier.

Se forem em tecido costumam acumular muitas partículas de pó, e se forem em pele costumam acumular muita sujidade, por isso estes devem ser aspirados (e tenha particular atenção às zonas das costuras pois é onde fica acumulada a maior parte da sujidade) e depois limpos com recurso a um líquido próprio para limpar estofos (existem para os estofos de tecido e de pele).

4. Retirar e aspirar os tapetes

Seguindo a sequência lógica, enquanto aspira e limpa os estofos alguma sujidade poderá cair para cima do tapete, por isso este é o 4º passo do nosso tutorial de como limpar o carro por dentro.

Os tapetes são provavelmente um dos locais mais sujos do carro, sobretudo quando se tem crianças. Entre areia, terra e migalhas de comida, sacudir os tapetes deverá ser uma tarefa (pelo menos) semanal, isto para garantir que quando liga o ar ou abre os vidros estas partículas de sujidade não são espalhadas pelo resto do carro.

Sempre que fizer uma limpeza mais profunda ao carro, perca algum tempo a aspirar bem os tapetes, e se possível, limpe-os também com um líquido para limpar carpetes. Isto fará com que o sítio onde coloca os pés fique totalmente limpo e incentive os passageiros a sacudir bem os pés antes de entrar no seu carro.

5. Aspirar todo o chão do carro e a bagageira

Já que tem o interior do seu automóvel todo “despido”, aproveite e aspire todos os cantos e recantos.

Coloque os bancos na posição mais recuada possível e aspire bem o chão do condutor e do pendura, depois faça o processo inverso e aspire o chão no espaço traseiro. Não se esqueça da zona lateral dos bancos pois costuma acumular também muita sujidade.

Antes de completar a limpeza total ao interior do seu veículo, não se esqueça também de aspirar o piso da bagageira. Transportamos malas, carrinhos de bebé, ou outros objetos que contêm sujidade e esta superfície acaba por ficar bastante suja com frequência.

Geralmente o piso da bagageira pode ser retirado, e caso o do seu carro seja, tente limpá-lo com o mesmo detergente que utilizou para limpar os seus estofos.

6. Usar toalhitas desinfetantes

Este é o último dos passos, mas é aquele que deve ser tido como uma rotina diária.

Sempre que andamos na rua e visitamos algum lugar, acabamos por tocar em objetos menos higienizados, contaminados de bactérias e micróbios. Na impossibilidade de lavarmos as mãos sempre antes entrar no carro, acabamos por transmitir esses mesmo germes para o interior do veículo.

É por isso de extrema importância manter sempre no interior do porta-luvas um gel desinfetante (para passar nas mãos sempre que entramos no carro) e um conjunto de toalhitas desinfetantes para, pelo menos uma vez por dia, passar nos locais onde tocamos com maior frequência: volante, comutadores dos piscas e luzes, alavanca de velocidades e puxadores das portas.

SEBASTIANAS 2020

Foi com enorme prazer que aceitamos o desafio lançado pela comissão de festas Sebastianas 2020 para estarmos presentes na I Feira dos Vinhos Verdes de Freamunde, realizada no fim de semana de 12 a 13 de Outubro e a quem desde já parabenizamos pela excelente organização.

Quem visitou este certame, onde marcaram presença vários produtores de vinhos verdes da região, não só degustou deste excelente néctar como também se deliciou com gastronomia típica,  fumeiro e doces tradicionais acompanhados de muita animação.

Em parceria com a Leaseplan, estivemos presentes neste certame com uma montra do que de melhor se pode encontrar no país no que a RENTING diz respeito  e podemos garantir que foi um sucesso.

Quem nos visitou pode ter contacto direto com algumas das viaturas mais comercializadas nesta modalidade de utilização do automóvel, solicitar propostas e esclarecer as suas dúvidas e mitos sobre o Aluguer Operacional  que vem tendo cada vez mais adesão e peso num mercado onde  a Take a Car tem tido um papel preponderante na divulgação, promoção e comercialização do mesmo .

 

 

Clientes TAKE A CAR visitam Salão Automóvel Híbrido e Elétrico -2018

No passado Sábado, 27/10/2018, levamos um grupo de amigos a visitar o SAHE que decorreu no Centro de Congressos na Alfândega do Porto.

Encontramo – nos a atravessar um período extremamente entusiasmante no que a soluções de mobilidade diz respeito em Portugal e no mundo. Hoje mais do que nunca quando pensamos em adquirir um automóvel as dúvidas são cada vez mais .…. híbrido, eléctrico, plug in????

Com esta visita ficamos e demos a conhecer o que de melhor já existe no mercado e o que nos espera num futuro próximo.

A solução que faltava ao seu negócio

Já parou para pensar se valerá a pena ter os automóveis que tem e todos os compromissos que os mesmos acarretam?

Faça bem as contas !

Muitas das vezes a melhor forma de ser competitivo nas nossas empresas é a redução dos custos fixos ao indispensável.
Pense bem… será que precisa mesmo de todas as viaturas que tem? Precisará mesmo de adquirir aquele furgão que está a pensar comprar? … Provavelmente, não!
Não é só pela despesa que estas representam, é o tempo que muitas vezes perde (ou pior do que isso , o que não perde) na gestão da frota, as tarefas que deixa de fazer em vez de se concentrar naquilo que realmente interessa…,O SEU NEGÓCIO!
São as mensalidades, são os seguros, as revisões, as avarias inesperadas e o tempo perdido , os impostos, a gestão dos kms percorridos pelos seus colaboradores, etc. etc.
É verdade que muitas vezes não nos apercebemos, mas já reparou no que anda à volta da sua frota automóvel, nomeadamente os custos imprevistos?
É por isso que o aluguer de automóveis é uma ferramenta ótima para a gestão do seu negócio… no fundo trata-se de partilhar com outras empresas e pessoas os custos fixos que muitas vezes teria de ser a sua empresa a suportar sozinha.
Na Take a Car vai encontrar uma frota de veículos de passageiros e comerciais de carga adaptada ao nosso mercado com procedimentos simplificados e um serviço flexível para o aluguer das viaturas.
Connosco, cada viagem que faz, cada entrega ou transporte que realiza TEM UM CUSTO !
Para mais info:
Telefone – 255 072 351
Mail – rent@takeacar.net

O renting é para todos: Empresas e Particulares

O renting está a crescer e parece estar na moda em Portugal. Mas sabe o que é que isso implica?

Renting, Leasing Operacional, AOV (Aluguer Operacional de Veículos), ALD (Aluguer de Longa Duração).

Uma modalidade que, a coberto de qualquer destas designações, as empresas utilizam há muitos anos para equiparem ou renovarem o seu parque automóvel.

Mas este serviço nascido para o mercado profissional está a ser cada vez mais procurado por particulares, que são atraídos pelas rendas atraentes e pela promessa de ter carro novo sem preocupações com despesas imprevistas.

Sendo ainda que a previsibilidade dos custos é também um dos motivos que leva a empresas a preferirem esta modalidade de financiamento, enquanto outras se prendem com a incidência fiscal e a maior facilidade de renovação da frota.

E o leitor, conhece as vantagens mas também dos riscos e as obrigações do renting?

Arrendar um imóvel é igual a alugar um carro?

Será que o arrendamento de um imóvel e o aluguer de uma viatura têm algo em comum?

A resposta é sim, a começar pelo mesmo tipo de compromisso: o pagamento de uma renda mensal em troca do usufruto de um bem.

Comparar ambos vai ajudar a perceber o “renting” e por que razão quase todas as marcas automóveis contemplam propostas para os modelos que comercializam.

Imagine então o leitor que arrenda uma casa ou escritório.

Como inquilino, no contrato que assina com o proprietário do imóvel, deverá constar o período do arrendamento, o estado em que o edifício se encontra, o recheio (se houver), e também as condições em que terá de o manter e, principalmente, de o devolver, no momento da cessação do negócio.

No renting automóvel não é muito diferente: o objecto alugado é o automóvel, adquirido por uma locadora ou gestora de frota, que estabelece uma renda mensal que dá direito à utilização do veículo durante um período de tempo acordado.

Neste caso, a única diferença para o imóvel é que, por se tratar de um carro, é também estabelecida uma quilometragem máxima para esse período; se ultrapassada, isso implica um pagamento suplementar por quilómetro; caso não seja atingida obriga à devolução de uma quantia contratualizada nos mesmos moldes.

O valor do arrendamento do imóvel inclui luz, água, condomínio?…

O mesmo pode acontecer no renting automóvel. No valor da renda podem ser associados uma série de serviços, sendo que os mais comuns são a manutenção, pneus, seguros e IUC.

Qual a vantagem?

Em primeiro lugar os custos, uma vez que as gestoras trabalham em economia de escala e conseguem negociar preços mais vantajosos junto dos fornecedores de serviço.

Acresce o facto do utilizador do serviço, seja ele empresa ou um particular, saber, à partida, que não terá surpresas durante o tempo de vigência do aluguer.

No entanto, a menos que se trate de um contrato fechado, o cliente pode optar por não incluir ou negociar qualquer um dos serviços incluídos (seguro, por exemplo), caso considere ter uma proposta mais vantajosa fora do que lhe interessa.

Esta flexibilidade, e ainda o facto de o contrato de renting poder ser interrompido em qualquer altura com custos menores do que acontece em outras formas de financiamento, são também aspectos há muito considerados pelas empresas, mas que podem igualmente beneficiar particulares e empresários em nome individual.

O carro não é seu. Portanto, deve estimá-lo!

Durante o tempo em que vigora o contrato – de 12 a um máximo de 54 meses -, o utilizador tem o dever e a obrigação de manter e estimar a viatura, significando isso que se compromete a efectuar todas as manutenções no tempo previsto e utilizar o carro sem colocar em causa a integridade e a segurança do mesmo, sendo também responsável por todas as infracções de trânsito, bem como pelo pagamento de estacionamento e portagens quando devidos.

Voltando ao exemplo do imóvel, enquanto o inquilino é responsável por todos os estragos e alterações efetuadas, sendo obrigado a deixar a habitação no estado em que a arrendou, no renting automóvel, o utilizador também vai ter que o devolver nas condições em que este lhe foi entregue, salvo o natural desgaste que sofreu com uma utilização consciente.

Porque a propriedade do veículo é efetivamente da locadora, geralmente a empresa que assegurou os serviços de renting, que vai vender a viatura no final do contrato e teve a perspectiva, no início do contrato de renting, de o fazer por um determinado montante.

É o chamado Valor Residual, bastante importante para o apuramento da renda já que, quanto mais elevado ele for, menor será o custo mensal do aluguer do automóvel.

No caso do veículo não se encontrar nas condições estabelecidas no contrato (as situações mais habituais são danos na carroçaria e no interior, neste caso geralmente estofos), a gestora tem o direito de cobrar ao cliente os custos que teve para reparar a viatura.

São os chamados custos de recondicionamento ou de terminação que, para serem evitados, podem ser objecto de um seguro prévio que cobre o pagamento até um determinado valor.

Por isso, se optou ou vai optar pelo Renting de uma viatura, tenha em mente que:

  • Não é proprietário do carro
  • Terá de pagar todos os danos quando o devolver, por isso, se não quer surpresas no final do contrato, efetue um seguro de recondicionamento
  • Tem a obrigação de o manter o carro. Isso significa que terá de efectuar todas as manutenções previstas (gratuitas, se incluídas no contrato, mas que, algumas vezes, não incluem material de desgaste) e de o mandar reparar quando necessário (sem custos se a reparação estiver coberta pela garantia)
  • Deve levar o veículo à inspecção na data prevista
  • O serviço “Pneus ilimitados” não cobre danos provocados por negligência ou uso indevido
  • Deve escolher o modelo em função do que realmente necessita
  • Deve fazer um contrato pelo tempo necessário e próximo da quilometragem prevista para tornar a solução mais económica

Para mais info consulte-nos

geral@takeacar.net